O fio invisível do amor que une pais e filhos

Bert Hellinger, pai da terapia dos relacionamentos a “Constelação Familiar” nos diz que para termos uma vida mais leve e harmônica é necessário estarmos alinhados com a leis do amor que atuam de forma invisível em nossas vidas.

Uma destas leis é a nossa necessidade de PERTENCIMENTO. A família é o local onde acontece o  aprendizado primário desta lei, quer dizer, é na família que estabelecemos os vínculos de base para os futuros relacionamentos.

Ao olharmos para a criança com profundo respeito aos seus pais, concordando plenamente com a história de vida dela, do jeito que é, podemos ajuda-la a perceber a força amorosa da vida que foi gerada. Uma das formas de levar esta compreensão para a criança é através de brincadeiras ou atividades sistêmicas, mostrando que existe um fio invisível de amor que une pais e filhos para sempre! Geralmente digo assim para os meus alunos: “Sabe, existe um fio invisível por onde o amor do papai e da mamãe chega até você. Não importa se eles estão longe, se estão perto, se estão juntos ou separados, ou até se já faleceram… este fio é tão forte que não arrebenta nunca e é tão comprido que chega em todos os lugares!  Com este fio podemos sentir o amor dos nossos pais no nosso coração para sempre, em cada célula do nosso corpo! É este amor que nos deixa mais fortes para fazermos o nosso melhor na escola e na vida! Isso alegra de verdade o coração dos nossos pais”

Proponho então que a criança faça o desenho dela e dos pais. Depois colamos um coração com um fio (barbante ou linha) no peito do papai e outro coração da mamãe. A partir daí unimos os fios do pai e da mãe e colamos no coração da criança.

Com esta atividade simples as crianças ficam radiantes e passam a manifestar o seu verdadeiro potencial pois sentem-se respeitadas e PERTENCENTES ao seu sistema familiar! Um trabalho de puro amor!

Andréa Wolney

Pedagogia Quântica