Objetivos, atenção e motivação para pais e filhos

Despertar o interesse e o desejo da criança para as obrigações cotidianas tem sido um desafio cada vez maior nos dias de hoje. Muitos pais com boas intensões em despertar esse interesse precisam apelar para práticas punitivas como: suspender a brincadeira, tirar o celular, dar uma bela bronca e até mesmo deixar de “castigo”.
Vamos entender agora como funcionam os processos motivacionais para aplicar dicas de estimulação positiva e despertar estes processos sem gerar ainda mais peso como o da mera obrigação. Afinal queremos, na verdade, que nossos filhos tenham iniciativa, envolvimento, vontade de aprender sem que ninguém fique se desgastando com imposições e broncas.
A atenção exige de nós a seleção de apenas um foco por vez, sendo necessário ignorar os demais estímulos, no entanto atualmente temos uma verdadeira disputa de pessoas, empresas, publicitários, vendedores se empenhando em fisgar a nossa atenção. A cada estímulo distrator que aparece temos que fazer uma escolha: ou permanecer seguindo o nosso foco principal, ou nos deliciarmos com vídeos divertidos, informações importantes, conversas com os amigos… As distrações pipocam a todo instante ao nosso redor.
O nosso cérebro tem a tendência natural de optar pelo prazer imediato em detrimento do esforço, que exige de nós muito mais energia. Precisamos focar então, em adiar a recompensa instantânea do prazer imediato, por uma recompensa tardia, que muito provavelmente será duradoura e irá nos trazer um nível de realização muito maior!
Mas, quem nos garante isso? Por qual motivo deixaríamos algo momentaneamente prazeroso para alcançar alguma coisa que exige mais esforço, sendo que não temos a garantia de que realmente irá se realizar?
Para não cairmos na armadilha de pensarmos dessa forma, precisamos ter claro nossos maiores propósitos. São eles que vão nos dar sustentação para continuar no foco das nossas atividades com empenho, motivação e alegria. Temos que trabalhar guiados por um objetivo que tenha um significado real para nós, que valha a pena cada gota de suor e cada minuto da nossa dedicação. Muito provavelmente vamos nos empenhar e conseguir manter o foco em algo que exija esforço para: “dar uma boa formação aos filhos”, “fazer a viagem dos meus sonhos” ou ainda “se divertir com meus amigos”, enfim, você se movimenta em função de algum ganho posterior. A sua meta pode ser material, social, espiritual… mas, se ela não está claramente definida, muito provavelmente o seu nível de motivação é baixo, aí surgem a procrastinação, a melancolia, a falta de significado na vida…
Com as crianças não é diferente, é até mais complexo do que é para nós manter a atenção em uma tarefa sem significado. Quais são os objetivos que ela tem para realizar algo? Qual a motivação para fazer uma tarefa de casa ou arrumar o seu quarto? A criança naturalmente vive em estado de presença (isso é saudável e importante), o que está acontecendo no momento é muito mais fascinante para ela do que “estudar para ter um emprego quando crescer”, ou “ser um adulto realizado e feliz”. Estes são objetivos de longuíssimo prazo e que não fazem nenhum sentido para criança!
O nosso grande desafio enquanto pais é aproximar o prazer do objetivo a ser alcançado, pois assim a criança terá motivos mais concretos e paupáveis para se envolver com a atividade. Para isso podemos oferecer a recompensa imediata que vai gradualmente sendo adiada até que ela consiga aos poucos ir se desafiando a alcançar objetivos com prazos cada vez maiores.
Por exemplo, uma criança de 4 anos que quer o carrinho e não quer realizar alguma atividade necessária, converse com ela, mostrando o objeto do seu desejo “o carrinho”, como o seu objetivo final (deixe ao alcance da visão da criança). Seu objetivo será alcançado mediante o esforço de cumprir a tarefa apresentada e para isso ele vai ter que manter o foco no que vai desenvolver antes de alcançar sua meta (o carrinho). Valorize sempre o empenho na realização da atividade e não se conseguiu desenvolvê-la com perfeição ou não. Ofereça sempre atividades adequadas à capacidade e habilidades do seu filho.
Para crianças maiores, se, o objetivo é sair para passear com as amigas, precisa garantir, por exemplo, que o a tarefa de casa esteja em dia. Coloque com clareza através do diálogo a importância da dedicação e esforço para se alcançar a meta almejada.
Dessa forma estamos saindo do padrão de punição e castigo que nem sempre são eficazes, para provocar reflexões antecipadas a respeito da importância do foco, esforço e atenção na conquista de objetivos pessoais. Lembre-se também que a sua dedicação em alcançar seus objetivos pessoais também são fontes de inspiração para as crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *